Arquivo da categoria ‘Produtos Center Pão’


3 Receitas para fazer com Pão Francês

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Lasanha de pão com carne moída e talos

Ingredientes:

– 1 dente de alho
– 1 colher (sopa) cebola
– 1 colher (sopa) margarina
– 100 g carne moída
– 1 tablete de caldo de carne
– 6 tomates maduros
– Sal a gosto
– Orégano a gosto
– 5 Berinjelas pequenas
– 2 xícaras (chá) talos picados
– 6 pães amanhecidos
– 2 colheres (sopa) queijo ralado

Modo de preparo:

– Pique o alho e a cebola e frite-os na margarina derretida.

– Acrescente a carne moída e o caldo de carne. Refogue.

– Bata os tomates no liquidificador, peneire e acrescente à carne moída. Deixe engrossar. Tempere com sal, orégano e acrescente os talos picados. Reserve.

– Corte as berinjelas em cubos. Reserve.

– Descasque o pão, corte em fatias, umedeça levemente e abra com o rolo. Reserve.

– Coloque, em um refratário, alternadamente, uma camada de pão, uma outro de molho, uma de berinjela e finalize com uma de pão e uma de molho. Polvilhe queijo ralado e leve ao forno até que a berinjela fique assada completamente. Sirva quente.

Doce de pão

Ingredientes:

– 4 pães franceses amanhecidos
– 3 colheres (sopa) de margarina sem sal
– 3 xícaras (chá) de leite
– 4 ovos
– 1 xícara (chá) de açúcar
– 4 colheres (sopa) de coco ralado
– Canela em pó a gosto

Modo de preparo:

– Retire a casca grossa dos pães e corte-os em fatias (guarde-as para fazer farinha de rosca); unte os dois lados das fatias com a margarina e coloque-as em uma assadeira.

– Bata os demais ingredientes no liquidificador e despeje sobre as fatias de pão; polvilhe com canela a gosto e deixe descansar por 15 minutos. Leve ao forno pré-aquecido até ficar dourado.

– Sirva frio ou quente.

Pudim de pão velho

Ingredientes:

– 6 a 8 pães amanhecidos tipo francês
– 4 ovos inteiros
– 2 colheres de açúcar (ou a gosto)
– 2 colheres de margarina
– 1/2 lata de leite condensado (opcional)
– 2 copos de leite integral
– canela em pó a gosto

*Caso não use o leite condensado coloque 1 e 1/2 xícara de açúcar.

Modo de Preparo:

Numa bacia coloque os pães de molho com um pouco de água até ficar bem molinho. Com as mãos esprema estes pães até obter um massa tipo mingau, então acrescente todos os outros ingredientes e mexa bem. Caramelize uma forma com açúcar queimado e cozinhe em banho-maria por 30 minutos.


Em busca do vinho perfeito: dicas para se tornar um expert!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Adega ou geladeira? Tinto ou branco? 16 dicas para escolher bem seus vinhos e saber como preservá-los.

Champanhe e espumante é a mesma coisa? Posso guardar o vinho na geladeira? Por que alguns vinhos vêm com tampa e não com rolha?

Tomar vinho é uma arte, e os especialistas que trabalham com sua produção ou degustação sabem que cada pequeno detalhe interfere no sabor e na qualidade da bebida. Muitas pessoas que a apreciam, no entanto, sabem pouco desses detalhes.

É por isso o sommelier Guilherme Grando, diretor comercial da Villaggio Grando, vinícola localizada na cidade de Água Doce, em Santa Catarina, resolveu algumas das principais dúvidas dos “iniciantes” e respondê-las. Veja abaixo!

1. Aquela bombinha para tirar o ar do vinho, depois de aberto, realmente funciona?
Sim. É uma excelente opção para quem gosta de tomar vinho todos os dias, mas que não toma a garrafa inteira. A bombinha tira o oxigênio da garrafa quase que por completo, evitando o processo de oxidação e mantendo o vinho bom pelo período de 2 a 3 dias. É claro que a cada dia que passa a qualidade da bebida se perde, mas a bombinha ainda é a opção mais viável e barata para quem quer guardar a garrafa aberta.

2. Depois de aberto, quando tempo o vinho dura na geladeira?
A dica é não armazenar a bebida na geladeira, com exceção dos vinhos brancos. Ao gelar o vinho, você está modificando a sensação dos taninos e a acidez da bebida, por exemplo. Para os tintos, isso é bem prejudicial no paladar. A ideia é manter o vinho na adega ou em locais frescos e sem a luz do sol.

3. Qual a temperatura ideal para servir vinho e espumante?
Depende do corpo do vinho, do teor alcoólico, entre outras características. De forma genérica, os brancos e espumantes devem ser resfriados na geladeira e os tintos precisam estar entre 16 e 18 graus. Mas lembre-se de não deixar os espumantes e brancos tão gelados para não se perder alguns de seus aromas e sabores – para isto, o ideal é uma temperatura de pelo menos 6º C.

4. Para que serve um decanter?
Na teoria, a função é deixar os vinhos mais velhos ou sem filtração, para que decante os sedimentos que contêm no líquido. No entanto, ele costuma ser utilizado para arejar os vinhos, fazendo com que se abram os aromas e sabores, provocando uma rápida oxidação em contato com o ar. Isso faz com que o vinho mostre de forma mais rápida algumas características que só seriam possíveis com o passar do tempo. Mas é importante saber que não é a mesma coisa do que deixar a garrafa envelhecer na adega.

5. Qual é a função do corta-gotas?
Essa foi um ótima invenção para não sujar toalhas e roupas! O corta gotas proporciona um melhor fluxo do líquido e impede que ele pingue ao final de cada taça servida. É um objeto muito funcional.

6. Por que manter o vinho deitado e o espumante em pé?
Ambos devem ficar deitados. A rolha precisa estar sempre em contato com o líquido para não fique ressecada e, assim, evita a entrada de ar, a oxidação do produto e até mesmo o vazamento da bebida.

7. Espumantes tem prazo de guarda? Ou devo comprar sempre a safra mais atual?
Depende do processo no qual foi produzido. A maioria dos espumantes é feito para consumo rápido. No entanto, alguns são feitos pelo método “champenoise”, podendo evoluir e melhorar muito ao longo dos anos. É sempre bom ler os rótulos.

8. Para guardar vinhos, é preciso ter uma adega em casa? Quais as condições mínimas?
Uma adega é a condição ideal de umidade e calor para armazenar vinhos. Mas, se você não tiver uma adega, não se preocupe. Procure um local fresco e sem luz do sol. Lembre-se que a principal condição é não ter variações grandes de temperatura, como é o caso das cozinhas, por exemplo.

9. Como saber se as “bolhinhas” do espumante são CO2 ou provenientes de um processo natural?
Quando as leveduras se alimentam do açúcar natural da uva, elas são transformadas em álcool, calor e gás carbônico. É esse gás que chamamos de “perlage” ou “borbulha” dos espumantes. Geralmente, quando estamos apreciando um espumante bem elaborado, sua perlage é fina, intensa e contínua, diferente de uma borbulha larga de gás injetado, como em refrigerantes, por exemplo.

10. A adição de gás carbônico ou de açúcar pode fazer mal à saúde?
Estes processos tiram a naturalidade do produto e comprometem a qualidade final da bebida.

11. O que muda entre frisante, asti, espumante e champagne?
O frisante é um vinho com certa quantidade de gás, muita vezes injetado. O asti é, na realidade, um processo em que se fermenta em autoclave o mosto, produzindo em único processo o vinho espumante. Já o espumante é quando fazemos primeiramente o vinho base e, depois, a espumatização, que pode ser feita em autoclave (método charmat) ou na garrafa (método champenoise ou tradicional). Já o champagne é o termo que usamos para os espumantes feitos em método champenoise dentro da região demarcada de Champagne, na França, com as uvas chardonnay, pinot noir e pinot meunier.

12. Qual a diferença entre icewine e late harvest?
O icewine é produzido a partir de uvas congeladas pela neve em temperatura e condições climáticas pré-determinadas. Apenas congelar as uvas para depois vinificá-las não faz de um vinho um icewine. As duas regiões mais famosas por essa bebida são Alemanha e Canadá. Já o Late Harvest, ou Colheita Tardia, pode ser feito sob vários métodos e em diferentes regiões propícias. Sua principal característica é que é feito com uvas deixadas nos vinhedos para supermaturação. São uvas colhidas geralmente em processo de pacificação, concentrando assim sua doçura, corpo e aromas.

13. É verdade que os brancos não são vinhos de guarda?
Geralmente sim. A maioria das regiões do mundo não consegue produzir vinhos brancos com características que o permitam evoluir. Porém, algumas vinícolas tem exemplares feito há vários anos e que melhoram com a idade.

14. Por que a altitude é boa para os vinhos?
É ela que determina e cria as condições climáticas que favorecem o cultivo. Os fatores que fazem do local um grande e potencial terroir para uvas, são a amplitude térmica, os invernos rigorosos e os verões quentes, sem chuva em épocas de colheita.

15. O que faz com que uma safra seja boa?
Precisamos de invernos rigorosos, verões quentes e secos e chuvas fora da época de maturação. A safra precisa de um ciclo de estações bem definidas e quase perfeitas.

16. O que é melhor: rolha ou screwcap?
Dizem que o enólogo avalia seu vinho pela rolha. Se não se economiza na rolha é porque o vinho merece. A rolha de cortiça permite a evolução e micro-oxigeranação para que o vinho possa melhorar com o tempo. Já o screwcap deixa o vinho totalmente vedado. No que se refere à vedação, o segundo é melhor. Mesmo assim, ainda preferimos a rolha, sem dúvidas.

Fonte: Consumidor Moderno


Paulistânia: a cerveja homenageia o Brasil em rótulos temáticos

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

A cerveja Paulistânia é laborada com os melhores insumos e é especial também por seu conceito inovador, alta qualidade e que busca levar cultura e informação para seus consumidores. É de forma interativa e cativante que traz rótulos ilustrados por fotos diversas que representam a história e a cultura da cidade de São Paulo e do Brasil.

Desenvolvida pela artista plástica Lu Paternostro, a mais recente edição de rótulos apresenta 12 ilustrações alusivas às manifestações culturais brasileiras. Essa série leva o nome de “Traços do Brasil” e tem na cultura de cidades brasileiras, a inspiração para a artista estampar as garrafas com ilustrações do Boi Bumbá, do Boi de Parintins, da Capoeira, do Carnaval, da Congada, das Danças Gaúchas, da Folia de Reis, do Frevo, do Jongo, do Marabaixo, do Maracatu e também do Futebol.

Você encontra as Cervejas Paulistânia na Center Pão, Av Mestra Fininha 1252 no Jardim São Luiz.

As receitas são produzidas, sob licença, no interior de São Paulo na cidade de Cândido Mota pela cervejaria Casa Di Conti, que conta com a mais moderna e avançada tecnologia, equipamentos de ponta Steinecker/Krones e toda infra-estrutura necessária a disposição para garantir total controle de qualidade na produção da Paulistânia – cerveja que já foi exportada para a França, Japão e Finlândia.

Utilizando somente a melhor seleção de matérias primas que incluem lúpulos nobres alemães e americanos, sendo elaboradas 100% com puro malte de cevada, todas as versões passam também por um longo processo de fermentação – que dura entre 3 e 4 semanas, trazendo um balanço ideal entre complexidade e drinkability.


Outubro Rosa Center Pão: O minibolo que ajuda no combate ao câncer

sexta-feira, 07 de outubro de 2016

post-insta

O ‘Outubro Rosa’ é uma campanha mundial que envolve toda a população em uma só causa: conscientizar sobre a importância dos cuidados e da prevenção ao câncer de mama.

Em suporte à campanha criamos o Minibolo Rosa, um pão de ló de frutas vermelhas em camadas com recheio 4 leites, raspas de chocolate branco, crocante e morango no topo. O produto terá 40% das vendas revertidas para a Casa de Apoio Santa Bernadete, com a intenção de alertar a sociedade, em especial mulheres, a respeito da prevenção do câncer de mama e, ao mesmo tempo, contribuir para a continuidade dos trabalhos realizados por instituições locais.

A instituição acolhe pacientes jovens e adultos em situação de vulnerabilidade social e/ou risco pessoal com diagnóstico de câncer e em tratamento ambulatorial de radioterapia e/ou quimioterapia, fora de domicílio nos serviços de oncologia do município.

Este é o segundo ano que criamos um produto exclusivo para a campanha, em 2015 foi criado o CupCake Rosa. Todas as lojas Center Pão fazem parte dessa causa.

Além do produto especialmente criado para o Outubro Rosa, durante todo o ano apoiamos a Associação Presente de Apoio a Pacientes com Câncer, com a campanha Troco Solidário, onde clientes podem depositar moedas nos cofrinhos da associação.

Center Pão – Montes Claros

Loja I – Av. Mestra Fininha, 1252 – Jd. São Luiz – 3212.2661
Loja II – Av. João XXIII,990, Lj 2 – Edgar Pereira – 3223.6990
Loja III – Av. José Corrêa Machado, 580 – Todos os Santos – 3216.8987
Loja IV – Av. Donato Quintino, 145 – Cidade Nova – 3214.6717
Loja V – Av. Cula Mangabeira, 557 – Vila Guilhermina – 3222.6363


Petisco: Conheça a Burrata, mussarela fresca e cremosa com origem italiana

quinta-feira, 01 de setembro de 2016

crostini-alla-burrata-2

Original da região de Puglia, na Itália, a burrata é um tipo de queijo, considerado um meio termo entre a mussarela de búfala e a manteiga – seu nome, inclusive, foi originado da palavra “burro” , que significa manteiga em italiano, devido a consistência cremosa do interior do queijo.

Com um gosto leve e quase azedo, a burrata deve ser consumida fria. No calor, a burrata se desmancha, o creme de leite vira gordura saturada e estraga o sabor. Além da consistência cremosa, não ir ao fogo é a outra grande diferença entre a burrata e a mussarela.

A burrata combina com vegetais frios, como berinjela e abobrinha, pães em geral, como o italiano e a ciabatta, torradas, saladas e sanduíches, além de ser sinônimo de prato sofisticado e rápido de preparar. Detalhe, tem em média 75 Kcal a cada 30g, ou seja, não compromete a dieta, valoriza o prato e é saborosa.

Deixamos uma receita especial com Burrata para você não perder tempo e garantir a sua:

Crostini de Pêssego e Burrata

Burrata-and-Nectarine-Crostini-foodiecrush

Ingredientes

• 1 xícara de vinagre balsâmico
• 1/4 de xícara de mel
• 1/3 xícara de açúcar granulado
• Raspas de 1 limão
• 24-28 folhas de manjericão inteiras, acrescido de 1 ½ colheres de sopa em fatias finas
• ½ baguete, cortada em fatias grossas
• 2 colheres de sopa extra-virgem de azeite de oliva
• 1 porção de Burrata
• 1 pêssego, sem caroço e cortada em fatias finas

Modo de preparo

1. Preaqueça o forno para assar.

2. Em uma panela pequena, misture o vinagre e mel. Leve para ferver, em seguida, em fogo baixo, deixe cozinhar por aproximadamente 25 minutos ou até que a mistura seja reduzida pela metade. Aumente o fogo para médio-alto e cozinhe por mais 5 minutos até engrossar à consistência de xarope, mexendo durante todo o tempo para não queimar. Retire do fogo e reserve.

3. Misture o açúcar e as raspas de limão em uma tigela pequena e mexa bem. Adicione as folhas de manjericão em fatias finas, misture até cobril-las e depois retire. Arrume as fatias de baguete em uma assadeira grande, pincele a parte de cima com óleo e as torre no forno pré-aquecido por 3 a 4 minutos ou até dourarem. Retire e deixe esfriar.

Burrata-and-Nectarine-Crostini-foodiecrush2

4. Corte porções da Burrata em fatias e coloque sobre as torradas de baguete. Mescle com uma fatia do pêssego e uma folha de manjericão. Regue com o molho de vinagre reservado e polvilhe com açúcar de limão. Sirva em temperatura ambiente.

Burrata-and-Nectarine-Crostini-foodiecrush3

 

Produto relacionado:

queijo-burrata

Queijo tipo Burrata de Búfala Bom Destino

Disponível na Loja 1, Av. Mestra Fininha, 1252 no Jardim São Luiz.


Alimentos saudáveis e funcionais que oferecem benefícios à saúde

quarta-feira, 15 de junho de 2016

 

beneficios-fito-alimentos

Açúcar Demerara

O Açúcar Demerara é obtido do refinamento da cana-de-açúcar sem utilização de aditivos químicos para o seu branqueamento. Tem fácil diluição e não altera o sabor das preparações.

Onde usar: bolos, doces, tortas, geléias, sucos.

Açúcar Mascavo

O Açúcar Mascavo mantém as propriedades nutricionais naturais, pois não passa por nenhum processo industrial de refinamento. É um ótimo substituto para o açúcar branco.

Onde usar: bolos, doces, tortas, geléias, sucos.

Aveia Flocos Finos

A Aveia Flocos Finos é fonte natural de betaglucanos, fibras solúveis que ajudam na redução do colesterol e no bom funcionamento do intestino. Auxiliam ao combate da obesidade e doenças cardiovasculares. São fontes de vitamina E e minerais como o magnésio, cálcio e fósforo. Indicada para todas as faixas etárias, principalmente para crianças e idosos.

Onde usar: frutas, iogurtes, vitaminas, sopas, bolos, biscoitos, pães, saladas, tortas, patês, farofas.

Chá de Hibisco

O Chá de Hibisco age como antioxidante. Reduz as taxas de lipídeos e glicose no sangue, ajuda a normalizar a pressão arterial, retarda o envelhecimento da pele, diminui a formação de colesterol e ajuda no tratamento das constipações intestinais. Por ser diurético auxilia no processo de emagrecimento.

Modo de preparo: Coloque 01 colher de chá (3g) para cada xícara, despeje água bem quente (não fervente) e deixe em infusão ou decocção até o sabor e o aroma ficarem a seu gosto.

Granola Diet

A Granola Diet é rica em fibras que ajudam no bom funcionamento do seu intestino. Possui alto teor de minerais, como o ferro, essencial para a defesa do organismo.

Onde usar: frutas, iogurtes, leite, vitaminas, salada de frutas.

Granola Tradicional

A Granola Tradicional Fito Alimentos é uma combinação preparada especialmente com grãos, cereais e castanhas, que contribuem no fornecimento de energia e disposição para o dia a dia.

Onde usar: frutas, iogurtes, leite, vitaminas, salada de frutas.

Mix de Frutas Secas

O Mix de Frutas Secas é um produto natural, composto por uma combinação de frutas desidratadas. Possui alto valor nutricional. Ideal para consumo a qualquer hora do dia, como aperitivo ou petisco, lanche entre as refeições ou adicionada em saladas, pães e farofas.


Sorvetes e picolés de Whey Protein da Easyice

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Chegaram na Center Pão (lojas I, II e III) com exclusividade os picolés e sorvetes de Whey Protein da Easyice.

12479650_1028390983910320_537088901

Com proteína isolada de altíssimo valor biológico (WPI), fornecem aminoácidos essenciais para a manutenção e crescimento da massa muscular. Os atletas, viciados em endorfina e galera que curte suar nos treinos não podem perder essa novidade.

Disponíveis nos sabores limão e chocolate, eles ainda contribuem para diminuir a dor muscular pós-exercício, aceleram a recuperação muscular, ajudam a regular o intestino, aumentam a saciedade e auxiliam no controle do colesterol.

São muitos benefícios com MUITO sabor!

Garanta já o seu nas lojas Center Pão:

Loja I, Av. Mestra Fininha 1252 no Jardim São Luiz (em frente à Escola Normal)

Loja II, Av. João XXIII, 990 no Edgar Pereira (em frente ao Hospital Aroldo Tourinho) e

Loja III, Av. José Corrêa Machado, 580 no Todos os Santos (próximo à Unimontes)

 


Maple Syrup, o xarope tradicional do Canadá mais famoso do mundo

terça-feira, 28 de julho de 2015

maple-syrup-xarope

A redução é uma técnica muito utilizada na cozinha, e suas principais funções são engrossar e concentrar o sabor de determinado produto. Técnica hoje que está em alta, já é feita a milhares de anos com o xarope mais famoso do mundo, o Maple Syrup. Proveniente da árvore mais famosa do Canadá, que tem menção na bandeira do país, o Maple Syrup contém sabor único por ser um produto natural.

Tudo começou quando um nativo voltando de sua caçada jogou seu machado em uma “maple tree”, e imediatamente começou a escorrer uma seiva sobre o tronco, partindo do corte que foi feito. Colhida pelo nativo, a seiva foi levada para a sua mulher cozinhar, sendo que ambos achavam que era apenas água. Ao usar no cozimento da carne, e após ferver, a água evaporou e ficou apenas o xarope, formando uma crosta melada na carne, dando um sabor doce para a comida.

Maple significa “bordo” em português, que é uma árvore da família Acer que em sua maioria ultrapassa os 200 anos de vida. A partir de 1965, a bandeira do Canadá recebeu em seu “desenho” a folha da “Maple tree” no centro.

A produção de Maple Syrup não demanda muito trabalho e etapas, e é feita apenas uma vez por ano, sempre na primavera. Durante o frio, ocorre um armazenamento de amido nos troncos e nas raízes das árvores. Com a chegada da primavera e as temperaturas mais quentes, o amido é transformado em açúcar. A partir disso, a seiva é retirada dos troncos das árvores através de um bico, e fica pendurado um balde com um guincho para ir armazenando o liquido obtido.

maple-syrup

Muito produtores locais possuem mais de 50 mil torneiras fincadas nas arvores de maple. A segunda etapa da produção consiste no cozimento da seiva, onde a água irá evaporar, e deixar um xarope bem grosso e caramelizado. A redução irá apurar o sabor do xarope ainda mais, tornando-o muito especial e saboroso. Após certificar de que o liquido está na textura ideal, ele é filtrado para remoção dos resíduos, tem sua densidade ajustada, e são classificados de acordo com cor e sabor.

A classificação do Maple Syrup é feita por “notas”, mas é importante ressaltar que ambos possuem alta qualidade, a mesma quantidade de açúcar, e a mesma densidade. A diferença entre os xaropes está na intensidade do sabor e na cor.  Todo o processo de produção é 100% natural, sem a adição de qualquer tipo de aditivo, justamente para aproveitar o maravilhoso sabor do açúcar natural da árvore.

Com um consumo mundial enorme, o Maple Syrup original é feito em Vermont (Canadá), mas também existem pontos de produção nos EUA. Hoje o Canadá engloba 83% da produção do xarope de bordo no mundo. O seu preço é relativamente alto, mas é justificado por ser algo único, natural, e com um baixo rendimento, tendo em vista que 150 litros de seiva produzem cerca de 4 litros de xarope. Seja nas panquecas, nos “waffles”, ou nos pratos salgados, a certeza de que o Maple Syrup será uma ótima companhia para agregar sabor é garantida.

Bibliografia: Vermont Maple Sugar Makers’ Association e Folha de São Paulo “caderno” Comida.


Vai fazer fondue? Dicas de vinhos e harmonização

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Frio e fondue, quer coisa que combina melhor? Só se for com uma taça de vinho!

fondue-com-vinho

Se tem um prato que nesta época do ano dá as caras mais do que nunca é a fondue. É quase uma relação orgânica: fondue precisa de frio, e o frio precisa de fondue… Isso mesmo, PRECISA!

Mesmo vindo lá da Suíça, já é tão popular no Brasil que a gente nem precisa explicar que se trata de uma panelinha aquecida por um rechaud, na qual uma mistura (geralmente de queijos) é levada à fervura para que espetemos pãezinhos e outros quitutes a fim de cobri-los por completo, né? A imagem chega naturalmente a sua cabeça.

E tem quem opte por comprar fondue pronta, quem gosta de fazer o passo a passo em casa e aqueles que gastam um pouquinho mais e preferem sujar a louça do restaurante. Seja qual for o seu perfil, estamos aqui para isso!

1º Receitas!
Escolhemos as receitas mais tradicionais – queijo, carne e chocolate – e vamos te mostrar como é bem mais simples do que você imagina. Além disso, é muito divertido preparar fondue em casa com os amigos, a família ou a pessoa amada.

Três receitas de inverno: Fondue de Carne, chocolate e queijo

2º Harmonizações
Como dissemos, só uma taça de vinho para deixar qualquer fondue mais gostosa… Mas que seja a taça certa! Qual é o seu tipo de fondue?

Queijos tradicionais – Chardonnay, Riesling ou Merlot
Toda a cremosidade da mistura de emmental, gouda e gruyère ganha toques levemente doces e picantes. Se preferir os brancos, pode apostar num tradicional Chardonnay do Novo Mundo ou um Riesling Spätlese. Caso prefira os tintos, um Merlot e toda maciez que traz ao palato vão casar muito bem.

Queijos fortes – Chenin Blanc ou Champagne
Os queijos de mofo branco, como brie e camembère, ou os de cabra têm sabor pronunciado que certamente acaba influenciando a harmonização. Uma maneira de equilibrar comida e bebida, neste caso, é optar por vinhos de acidez acentuada, como um Chenin Blanc do Loire ou até mesmo um Champagne.

Carne – Bordeaux
Quando fondue de carne é o assunto em questão, acidez e corpo são fatores cruciais para o equilíbrio em boca. Um Bordeaux da margem esquerda, com maioria de Cabernet Sauvignon, terá taninos e acidez deliciosamente perfeitas e ainda vão levar a refeição a outros níveis de requinte!

Cogumelos – Pinot Noir
Quando um fondue de queijo ganha notas umamis dos cogumelos – seja do tipo paris ou funghi -, é preciso procurá-los também no vinho. Além disso, quanto mais frutado, melhor. Pensou em Pinot Noir? Nós também! Ainda melhor se for um da Borgonha.

Bolonhesa – Chianti
Molho de tomate, carne moída, acidez… É certo que um fondue à bolonhesa crescerá muito ao lado de um vinho italiano. Um bom Chianti Riserva terá suficiente acidez para equilibrar e ainda o completará com notas de frutas passadas e toques amadeirados.

Chocolate tradicional – vinho do Porto Ruby
É no fondue de chocolate tradicional que toda a cremosidade e doçura do chocolate ganham o frescor e azedinho de frutas vermelhas. Uau, e não é que pela descrição poderia se passar facilmente por um vinho do Porto Ruby? Eles têm o álcool e a doçura necessários para combater o açúcar da receita.

Chocolate branco – Espumante doce
O fondue feito com o mais gorduroso dos chocolates precisa de acidez extra, além, é claro, de um toque adocicado, para se equilibrar. À taça, um espumante doce, como Asti ou Moscatel limpam o palato e o deixam preparado para a próxima garfada.

Doce de leite – Moscatel de Setúbal e vinho do Porto Tawny
A harmonia do fondue de doce de leite se faz procurando as mesmas notas num vinho (claro, desde que seja de sobremesa!). Pensando por esse lado, Portugal parece ser terra perfeita para isso – isso por ser lar das duas harmonizações ideais, Moscatel de Setúbal e vinho do Porto Tawny.


Poderosas berries: veja como essas frutinhas podem ajudar nos cuidados de beauté e da saúde

terça-feira, 16 de junho de 2015

As berries podem ser poderosas coadjuvntes nos cuidados de beleza (Foto: Shutterstock)

As berries podem ser poderosas coadjuvntes nos cuidados de beleza (Foto: Shutterstock)

Pode até parecer que as berries já deram o suco que tinham que dar, afinal que mulher antenada ainda não ouviu falar, por exemplo, do negócio da China que é a goji berry? Mas, ela não é a única. “Todas as berries possuem antocianinas (que conferem sua coloração vermelho-arroxeada) e flavonóides. Ambos são responsáveis pelas propriedades antioxidantes dessas frutas, ou seja, elas ‘limpam’ o organismo dos radicais livres que podem causar danos celulares”, resume a dermatologista  Carla Vidal.

Apesar de ser um assunto muito discutido, os benefícios proporcionados por essas frutinhas ainda são um mistério a ser desvendado, especialmente no ramo da beleza. “Ainda que pareça um assunto esgotado, para a ciência ainda é bem novo poder afirmar coisas como, por exemplo, a quantidade a ser consumida”, explica a nutricionista  Maria Gandini.

O que se sabe com certeza é que pesquisas científicas recentes têm, sim, reforçado a força desses alimentos como coadjuvantes na busca por um corpo mais delgado e um rosto mais conservado, com resultados iniciais que vão do combate ao envelhecimento, celulite e flacidez a ajuda no emagrecimento. “Esses estudos também dizem que o importante é a frequência do consumo. As berries devem ser incluídas dentro de uma alimentação equilibrada e de forma variada. Mas atenção: elas são saudáveis, mas têm calorias, como qualquer fruta. Por isso, também não se pode exagerar nas quantidades”, alerta a profissional.

Confira a seguir como cada uma das berries pode te ajudar na missão barriga – e rugas – negativa(s)!

A goji berry é excelente ajudante no combate às rugas, celulites e flacidez. Ufa! (Foto: Shutterstock)

A goji berry é excelente ajudante no combate às rugas, celulites e flacidez. Ufa! (Foto: Shutterstock)

 

Açaí para detonar a celulite 
(54 kcal/ 100g. Época: maio a setembro)
Segundo a Dra. Cristiane Coelho, médica nutróloga, a notícia é boa: “antocianinas (predominantemente a cianidina-3-rutinosídeo), proantocianidina, ácidos graxos essenciais ômega 6 e ômega 9, vitamina E. Pelos seus componentes, o açaí apresenta efeitos benéficos, como o antiinflamatório, no perfil imunológico, no diabetes tipo 2, no câncer e no envelhecimento, mas é por conta do seu efeito antiinflamatório que o consumo regular de açaí pode ajudar no tratamento da celulite”.

Amora para prevenir o câncer
(62,5 kcal/100g. Época: setembro e outubro)
“As antocianinas – mais especificamente a cianidina-3-glicosídeo – são o principal componente bioativo das amoras, responsável pela sua potente atividade antioxidante, mais elevada do que o mirtilo, a framboesa e o morango. Devido ao alto teor de antioxidante a amora apresenta um grande potencial na prevenção e combate ao câncer”, explica a Dra. Cristiane. Falou propriedade antioxidante, lembre-se: também retarda o envelhecimento!

Cranberry para prevenir infecções
(46 kcal/ 100g. Época: outono)
“As proantocianidinas merecem destaque nessa fruta, pois dificultam a fixação de bactérias nas vias urinárias, prevenindo infecções do trato urinário, principalmente infecções reincidentes; estudos também apontam que o consumo de cramberries previne cálculos renais”, conta a médica. E que mulher consegue ser bonita e elegante se estiver sofrendo com esses problemas?

Gojiberry para afinar a cintura
(desidratada 82 kcal/100g)
“Sinônimo de juventude. Segundo a medicina chinesa, aqueles que se alimentam de goji diariamente costumam ter uma vida longa e saudável. Riquíssima em carotenoides, importante para a integridade de pele, unhas e cabelos, e atuante no metabolismo de gorduras; boa fonte de vitamina C; tem aminoácidos, que são precursores de serotoninas (substância responsável pela sensação de bem estar), e além disso, são essenciais para síntese de proteínas, o que ajuda a combater a flacidez; e para arrematar, ainda contém beta-sisterol, fito nutriente de função antiinflamatória. Sendo assim, o consumo regular de goji previne o envelhecimento precoce, ajuda no tratamento da celulite e da flacidez”, indica a nutróloga.

Mirtilo para brecar o ganho de peso
(62,5 kcal/100 g. Época: novembro a fevereiro)

“A grande variedade de compostos fenólicos se destaca nessa fruta, além das antocianinas. Em estudo feito com ratos que consumiram mirtilo, estes reduziram o consumo de alimento e o ganho de peso, mostrando que esta fruta induz a saciedade, podendo atuar como modulador no controle de peso”, diz Dra. Crisrtiane.

Morango e framboesa para combater rugas e flacidez
(morango: 30 kcal/100g, entre maio e outubro. Framboesa: 62,5 kcal/100g, entre novembro e fevereiro)
“Se destacam pelo alto teor de vitamina C em relação às outras berries, essencial para a síntese do colágeno, proteína fundamental para manter a sustentação da pele. Essas frutas podem ajudar no combate a flacidez e rugas”, anuncia a médica nutróloga.

Agora que você os poderes especiais de cada berry, que tal partir para a prática e saber a melhor maneira de consumi-las? Clique aqui e veja receitas que vão te ajudar a incorporar essas frutas à sua rotina de maneira saudável e variada. 

 

 

FONTE: VOGUE BRASIL – VICTORIA MARCHESI



Center Pão I - Av. Mestra Fininha, 1252 - Jd. São Luiz - 3212.2661

Center Pão II - Av. João XXIII,990, Lj 2 - Edgar Pereira - 3223.6990

Center Pão III - Av. José Corrêa Machado, 580 - Todos os Santos - 3216.8987

Center Pão IV - Av. Donato Quintino, 145 - Cidade Nova - 3214.6717

Center Pão V - Av. Cula Mangabeira, 557 - Vila Guilhermina - 3222.6363