Drinks e bebidas para o Carnaval para fazer em casa

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

O Carnaval chegou e um dos itens obrigatórios são as bebidinhas, alcoólicas ou não, podem ser consumidas em casa ou levar na bolsa térmica para curtir aquele bloco de rua sem gastar com vendedores ambulantes e arriscar tomar bebidas de procedência duvidosa.

Limonada Rosa

• 1 litro de água
• Meia xícara (125 ml) de xarope de groselha
• 1 xícara de sumo (250 ml) de limão siciliano
• 1 xícara (250 ml) de vodca
• Açúcar a gosto

Preparo: Misture tudo! 🙂 Para enfeitar, pegue rodelas do limão e deixe dentro do líquido. O ideal é preparar o suficiente para consumo no mesmo dia, pois a bebida pode azedar. Mantenha sempre gelado e pode adicionar gelo à vontade.

Geladinho de caipirinha

• 300 ml de cachaça
• 1 litro de suco de limão já adoçado

Preparo: Misture as partes e com ajuda de um funil, preencha os saquinhos deixando até 3 dedos da ponta aberta, para conseguir dar o nó. Deixe gelar por 4h.

Príncipe Maluco

• 200ml de cachaça
• 200ml de conhaque
• 200ml de catuaba
• 200ml de whiskey
• 100ml de vodka
• 300g de guaraná em pó
• 300ml de melado de cana
• Canela em pau
• Cravos
• Noz moscada

Preparo: Misturar todos os ingredientes e deixar repousar 24h. Sempre servir num copo shot acompanhado de uma rodela de limão com leite condensado, além de uma mistura de guaraná em pó e canela.

Drink Molecular (não alcoólico)

Bar Mixology by Perrier - Magic Perrier

• Algodão Doce Rosa
• 330ml de Água Perrier

Smoothie de Morango (não alcoólico)

• 8 morangos sem o cabo e folhas
• 1/2 xícara de leite desnatado
• 1/2 xícara de iogurte natural desnatado
• 3 colheres (sopa) de açúcar
• 2 colheres (chá) de extrato de baunilha
• 6 cubos de gelo triturados

Em um liquidificador, misture os morangos, o leite, o iogurte, o açúcar e a baunilha. Adicione o gelo. Bata até ficar homogêneo e cremoso. Divida em taças e sirva.



Em busca do vinho perfeito: dicas para se tornar um expert!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Adega ou geladeira? Tinto ou branco? 16 dicas para escolher bem seus vinhos e saber como preservá-los.

Champanhe e espumante é a mesma coisa? Posso guardar o vinho na geladeira? Por que alguns vinhos vêm com tampa e não com rolha?

Tomar vinho é uma arte, e os especialistas que trabalham com sua produção ou degustação sabem que cada pequeno detalhe interfere no sabor e na qualidade da bebida. Muitas pessoas que a apreciam, no entanto, sabem pouco desses detalhes.

É por isso o sommelier Guilherme Grando, diretor comercial da Villaggio Grando, vinícola localizada na cidade de Água Doce, em Santa Catarina, resolveu algumas das principais dúvidas dos “iniciantes” e respondê-las. Veja abaixo!

1. Aquela bombinha para tirar o ar do vinho, depois de aberto, realmente funciona?
Sim. É uma excelente opção para quem gosta de tomar vinho todos os dias, mas que não toma a garrafa inteira. A bombinha tira o oxigênio da garrafa quase que por completo, evitando o processo de oxidação e mantendo o vinho bom pelo período de 2 a 3 dias. É claro que a cada dia que passa a qualidade da bebida se perde, mas a bombinha ainda é a opção mais viável e barata para quem quer guardar a garrafa aberta.

2. Depois de aberto, quando tempo o vinho dura na geladeira?
A dica é não armazenar a bebida na geladeira, com exceção dos vinhos brancos. Ao gelar o vinho, você está modificando a sensação dos taninos e a acidez da bebida, por exemplo. Para os tintos, isso é bem prejudicial no paladar. A ideia é manter o vinho na adega ou em locais frescos e sem a luz do sol.

3. Qual a temperatura ideal para servir vinho e espumante?
Depende do corpo do vinho, do teor alcoólico, entre outras características. De forma genérica, os brancos e espumantes devem ser resfriados na geladeira e os tintos precisam estar entre 16 e 18 graus. Mas lembre-se de não deixar os espumantes e brancos tão gelados para não se perder alguns de seus aromas e sabores – para isto, o ideal é uma temperatura de pelo menos 6º C.

4. Para que serve um decanter?
Na teoria, a função é deixar os vinhos mais velhos ou sem filtração, para que decante os sedimentos que contêm no líquido. No entanto, ele costuma ser utilizado para arejar os vinhos, fazendo com que se abram os aromas e sabores, provocando uma rápida oxidação em contato com o ar. Isso faz com que o vinho mostre de forma mais rápida algumas características que só seriam possíveis com o passar do tempo. Mas é importante saber que não é a mesma coisa do que deixar a garrafa envelhecer na adega.

5. Qual é a função do corta-gotas?
Essa foi um ótima invenção para não sujar toalhas e roupas! O corta gotas proporciona um melhor fluxo do líquido e impede que ele pingue ao final de cada taça servida. É um objeto muito funcional.

6. Por que manter o vinho deitado e o espumante em pé?
Ambos devem ficar deitados. A rolha precisa estar sempre em contato com o líquido para não fique ressecada e, assim, evita a entrada de ar, a oxidação do produto e até mesmo o vazamento da bebida.

7. Espumantes tem prazo de guarda? Ou devo comprar sempre a safra mais atual?
Depende do processo no qual foi produzido. A maioria dos espumantes é feito para consumo rápido. No entanto, alguns são feitos pelo método “champenoise”, podendo evoluir e melhorar muito ao longo dos anos. É sempre bom ler os rótulos.

8. Para guardar vinhos, é preciso ter uma adega em casa? Quais as condições mínimas?
Uma adega é a condição ideal de umidade e calor para armazenar vinhos. Mas, se você não tiver uma adega, não se preocupe. Procure um local fresco e sem luz do sol. Lembre-se que a principal condição é não ter variações grandes de temperatura, como é o caso das cozinhas, por exemplo.

9. Como saber se as “bolhinhas” do espumante são CO2 ou provenientes de um processo natural?
Quando as leveduras se alimentam do açúcar natural da uva, elas são transformadas em álcool, calor e gás carbônico. É esse gás que chamamos de “perlage” ou “borbulha” dos espumantes. Geralmente, quando estamos apreciando um espumante bem elaborado, sua perlage é fina, intensa e contínua, diferente de uma borbulha larga de gás injetado, como em refrigerantes, por exemplo.

10. A adição de gás carbônico ou de açúcar pode fazer mal à saúde?
Estes processos tiram a naturalidade do produto e comprometem a qualidade final da bebida.

11. O que muda entre frisante, asti, espumante e champagne?
O frisante é um vinho com certa quantidade de gás, muita vezes injetado. O asti é, na realidade, um processo em que se fermenta em autoclave o mosto, produzindo em único processo o vinho espumante. Já o espumante é quando fazemos primeiramente o vinho base e, depois, a espumatização, que pode ser feita em autoclave (método charmat) ou na garrafa (método champenoise ou tradicional). Já o champagne é o termo que usamos para os espumantes feitos em método champenoise dentro da região demarcada de Champagne, na França, com as uvas chardonnay, pinot noir e pinot meunier.

12. Qual a diferença entre icewine e late harvest?
O icewine é produzido a partir de uvas congeladas pela neve em temperatura e condições climáticas pré-determinadas. Apenas congelar as uvas para depois vinificá-las não faz de um vinho um icewine. As duas regiões mais famosas por essa bebida são Alemanha e Canadá. Já o Late Harvest, ou Colheita Tardia, pode ser feito sob vários métodos e em diferentes regiões propícias. Sua principal característica é que é feito com uvas deixadas nos vinhedos para supermaturação. São uvas colhidas geralmente em processo de pacificação, concentrando assim sua doçura, corpo e aromas.

13. É verdade que os brancos não são vinhos de guarda?
Geralmente sim. A maioria das regiões do mundo não consegue produzir vinhos brancos com características que o permitam evoluir. Porém, algumas vinícolas tem exemplares feito há vários anos e que melhoram com a idade.

14. Por que a altitude é boa para os vinhos?
É ela que determina e cria as condições climáticas que favorecem o cultivo. Os fatores que fazem do local um grande e potencial terroir para uvas, são a amplitude térmica, os invernos rigorosos e os verões quentes, sem chuva em épocas de colheita.

15. O que faz com que uma safra seja boa?
Precisamos de invernos rigorosos, verões quentes e secos e chuvas fora da época de maturação. A safra precisa de um ciclo de estações bem definidas e quase perfeitas.

16. O que é melhor: rolha ou screwcap?
Dizem que o enólogo avalia seu vinho pela rolha. Se não se economiza na rolha é porque o vinho merece. A rolha de cortiça permite a evolução e micro-oxigeranação para que o vinho possa melhorar com o tempo. Já o screwcap deixa o vinho totalmente vedado. No que se refere à vedação, o segundo é melhor. Mesmo assim, ainda preferimos a rolha, sem dúvidas.

Fonte: Consumidor Moderno



Receita: Churrasco sem churrasqueira!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Ingredientes

Carvão:
Galhos de tomilho
1 linguiça toscana sem pele cortada em pedaços
Álcool
3 bifes de contrafilé com 2 cm de altura e temperados com sal grosso a gosto

Maionese Vinagrete
1 ovo
100g de extrato de tomate
1 cebola grande picada
1 pimentão verde sem sementes picado (80g)
1 pitada de açúcar
Sal a gosto
150ml de óleo

Mode de preparo

1- Forre apenas um lado de uma assadeira redonda com papel alumínio, prendendo a sobra do papel na borda da assadeira. Faça como se fosse uma cama de papel alumínio.

2- Em cima do papel faça uma camada com pedaços de carvão, depois uma camada com ramos de tomilho e pedaços pequenos de linguiça toscana e/ ou gordura da picanha. Faça mais uma camada de carvão e para finalizar, coloque mais alguns pedaços pequenos de linguiça e/ ou gordura sem deixar cair para a metade limpa da assadeira.

3- Em seguida, regue o carvão com um pouco de álcool e espere alguns segundos para o carvão absorver o álcool. Com cuidado, risque um fósforo e jogue-o aceso sobre o carvão. Deixe queimar até formar uma brasa (aprox. 10 minutos). Ligue o fogão e coloque a assadeira em brasa no fogão aceso.

4- Em uma frigideira com óleo, coloque os bifes temperados com sal grosso a gosto e doure os bifes dos dois lados.

5- Transfira os bifes para a assadeira (ainda em brasa). Coloque-os do lado da assadeira que não possui carvão (não sobre o carvão) e tampe a assadeira com a frigideira por 1 minuto.

6- Desligue o fogo do fogão. Retire os bifes e sirva em seguida.

Observação: Caso queria repetir este processo, coloque um pouco mais de tomilho e pedaços de linguiça no carvão usado e ateie fogo novamente.

Maionese Vinagrete

1- Em um liquidificador, coloque ovo, extrato de tomate, cebola grande picada, pimentão verde sem sementes picado, pitada de açúcar e sal a gosto. Bata bem até ficar uma mistura homogênea.

2- Com o liquidificador ainda ligado, adicione 150ml de óleo em fio. Deixe bater até ficar cremoso e encorpado (consistência de maionese). Desligue o liquidificador.

3- Coloque a maionese de pimentão em uma tigela e leve a geladeira para gelar. Sirva em seguida.

 

Obervações:

Observação: Se desejar, faça com pimentão assado. Leve o pimentão ao forno médio a 180°C até murchar. Com uma faca retire a pele e as sementes.

Rendimento: 3 porções.

Fonte: Ana Maria



Paulistânia: a cerveja homenageia o Brasil em rótulos temáticos

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

A cerveja Paulistânia é laborada com os melhores insumos e é especial também por seu conceito inovador, alta qualidade e que busca levar cultura e informação para seus consumidores. É de forma interativa e cativante que traz rótulos ilustrados por fotos diversas que representam a história e a cultura da cidade de São Paulo e do Brasil.

Desenvolvida pela artista plástica Lu Paternostro, a mais recente edição de rótulos apresenta 12 ilustrações alusivas às manifestações culturais brasileiras. Essa série leva o nome de “Traços do Brasil” e tem na cultura de cidades brasileiras, a inspiração para a artista estampar as garrafas com ilustrações do Boi Bumbá, do Boi de Parintins, da Capoeira, do Carnaval, da Congada, das Danças Gaúchas, da Folia de Reis, do Frevo, do Jongo, do Marabaixo, do Maracatu e também do Futebol.

Você encontra as Cervejas Paulistânia na Center Pão, Av Mestra Fininha 1252 no Jardim São Luiz.

As receitas são produzidas, sob licença, no interior de São Paulo na cidade de Cândido Mota pela cervejaria Casa Di Conti, que conta com a mais moderna e avançada tecnologia, equipamentos de ponta Steinecker/Krones e toda infra-estrutura necessária a disposição para garantir total controle de qualidade na produção da Paulistânia – cerveja que já foi exportada para a França, Japão e Finlândia.

Utilizando somente a melhor seleção de matérias primas que incluem lúpulos nobres alemães e americanos, sendo elaboradas 100% com puro malte de cevada, todas as versões passam também por um longo processo de fermentação – que dura entre 3 e 4 semanas, trazendo um balanço ideal entre complexidade e drinkability.



Receita: Torta de Biscoito Recheada

terça-feira, 07 de fevereiro de 2017

Aprenda a fazer uma deliciosa torta de biscoito com poucos ingredientes e rápida!

Ingredientes:

1⁄2 xícara (chá) de farinha de trigo (80 g)
1⁄2 colher (chá) de fermento em pó
1 1⁄2 xícara (chá) de biscoito de chocolate sem recheio e triturado (200 g)
1⁄4 xícara (chá) de açúcar mascavo (50 g)
1 ovo
1⁄3 xícara (chá) de manteiga derretida (70 g)
1 xícara (chá) de chocolate meio amargo picado (150 g)
1 pote de creme de avelã (350 g)

GANACHE DE CHOCOLATE

100 g de chocolate meio amargo picado
1⁄4 xícara (chá) de creme de leite fresco

Modo de preparo:

Numa tigela misture ½ xícara (chá) de farinha de trigo, ½ colher (chá) de fermento em pó, 1 ½ xícara (chá) de biscoito de chocolate sem recheio e triturado, ¼ xícara (chá) de açúcar mascavo, 1 ovo, 1/3 xícara (chá) de manteiga derretida, 1 xícara (chá) chocolate meio amargo picado até obter uma mistura homogênea.Divida a massa em 2 metades e reserve.

Numa assadeira redonda de fundo falso (23 cm de diâmetro) forrada com papel manteiga (fundo e lateral), coloque metade da massa (reservada acima) e com a ajuda de um saco plástico alise a superfície.

Distribua sobre a massa 1 pote de creme de avelã, deixando uma borda de 1 cm sem colocar o creme. Abra a outra metade da massa entre 2 sacos plásticos formando um disco do diâmetro da forma.

Cubra o creme que está na forma e aperte as laterais para o recheio não vazar. Leve para assar em forno médio preaquecido a 180° C por 25 minutos. Retire do forno e deixe esfriar. Sirva com ganache de chocolate.

GANACHE DE CHOCOLATE

Coloque 100 g de chocolate meio amargo numa tigela com ¼ xícara (chá) de creme de leite fresco e leve ao micro-ondas por 1 minuto e 30 segundos.

Retire do micro-ondas, mexa bem até derreter e ficar homogêneo.

Espere esfriar e sirva com a torta.




Center Pão I - Av. Mestra Fininha, 1252 - Jd. São Luiz - 3212.2661

Center Pão II - Av. João XXIII,990, Lj 2 - Edgar Pereira - 3223.6990

Center Pão III - Av. José Corrêa Machado, 580 - Todos os Santos - 3216.8987

Center Pão IV - Av. Donato Quintino, 145 - Cidade Nova - 3214.6717

Center Pão V - Av. Cula Mangabeira, 557 - Vila Guilhermina - 3222.6363